Polícia Ambiental flagra ato de pesca predatória na região em Área de Proteção Ambiental
12/09/2020
Polícia Ambiental flagra ato de pesca predatória na região em Área de Proteção Ambiental

Foram elaborado 12 autos de infração ambiental, aplicado multas que chegaram a mais de R$ 28 mil e apreendidas 03 tarrafas de fios de nylon, com malhas de 20, 70 e 80mm, além de 40 kg de peixes

 

Neste sábado (12), durante patrulhamento náutico pela represa de Barra Bonita, em Área de Proteção Ambiental (APA) Tanquã, Bairro Barreiro Rico, a Polícia Militar Ambiental de Botucatu com os cabos Viotto, Valdrighi e Pontes avistou três pessoas efetuando a pesca com uso de tarrafas e outras três que estavam ajudando na retirada dos peixes. Ao serem indagados, alegaram que não eram pescadores profissionais, e que estavam no local desde a noite anterior.

Junto a eles no momento havia um saco com 10 kg de peixes das espécies porquinho e curimbatá. Ao ser efetuada vistoria no acampamento, foram localizadas mais duas caixas de isopor contendo outros 30 kg de peixes das espécies porquinho e curimbatá.

Ao ser procedida a verificação dos peixes da espécie curimbatá, foi constatado a existência de 10 kg de peixes desta espécie com tamanhos de 15 a 20 cm de comprimento, ou seja, com tamanho abaixo do mínimo permitido que seria de 30 cm de comprimento.

Diante dos fatos, foram elaborados 12 autos de infração ambiental com base na lei vigente sendo arbitrado um total de multas que chegaram a R$ 28.800,00. Foram apreendidas 03 tarrafas de fios de nylon, com malhas de 20, 70 e 80mm, 30 kg de peixes da espécie porquinho e 10 kg de curimbatá, que foram destinados ao aterro sanitário de Botucatu.


CURTA NOSSO FACEBOOK

VÍDEO EM DESTAQUE

PREVISÃO DO TEMPO

INDICADOR ECONÔMICO

© Tribuna de Botucatu todos os direitos reservados.